Portal do Governo do Estado de São Paulo

  Bandeiras do Memorial foram trocadas e obras de arte restauradas               Memorial está mais arborizado               Publicação coloca Memorial na lista dos melhores pontos turísticos               
busca
Home Notícias Newsletter Sala de Imprensa Fale Conosco  

São Paulo, capital do cinema latino-americano

Gostaria de saudar os participantes do 6o Festival Latino-Americano de São Paulo. O evento, criado pelo Governo do Estado, através do Memorial da América Latina e com o apoio da Secretaria da Cultura, já se tornou referência na cinematografia da região.

O Festlatino mostra que o papel de integração dos povos do continente, desempenhado pelo Memorial, passa necessariamente por essa sinergia que emana da arte e da cultura.

Durante uma semana, São Paulo será a capital do cinema latino-americano. As exibições serão realizadas em oito salas da cidade.

São filmes inéditos, produções recém-premiadas em festivais e nas academias, com temáticas que abordam o cotidiano da vida dos povos da América Latina.

Desejo a todos muitas sessões de cinema e um ótimo Festival.


GERALDO ALCKMIN
Governador do Estado

 

Em sua sexta edição, o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, uma parceria da Secretaria de Estado da Cultura com o Memorial da América Latina desde o seu início, se consolida como um dos mais importantes marcos de intersecção audiovisual entre o Brasil e países vizinhos.

É a oportunidade que temos para corrigir uma falha em relação à difusão cinematográfica latino-americana por aqui. Apesar de perto geograficamente, vivemos, de certo modo, afastados do cinema produzido na América Latina. Por isso o Festival, com seus mais de 100 filmes em exibição, mostras paralelas, oficinas, master classes e intercâmbio entre escolas, aparece como marcante elemento de integração.

Outro ponto a se destacar é o papel que o Festival desempenha como formador de público, já que acontece em meio às férias escolares, possibilitando o acesso de estudantes a essa produção tão rica, ousada e singular.


ANDREA MATARAZZO
Secretário de Estado da Cultura de São Paulo

 

A busca pela excelência

“O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.”
(Orson Welles)

Quando, em 2006, a Fundação Memorial lançou o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, sabíamos que a iniciativa, como toda novidade no universo cultural, seria avaliada com rigor no decorrer de suas edições seguintes.

Falávamos de sonhos, não metaforicamente, mas com o desejo e a determinação de transformá-los em realidade para proporcionar mais uma opção de diálogo na estrada da integração dos povos latino-americanos a que o Governo do Estado de São Paulo se propôs quando criou o Memorial.

O tempo passou. O cenário cultural do país ampliou-se naturalmente e agregou variada gama de eventos em todos os setores da produção artística, que não se restringiram ao eixo Rio-São Paulo.

Tínhamos um desafio a vencer: manter de pé o sonho de reunir, em uma só grande tela, todos os recortes da cinematografia latino-americana, até então mais conhecida por elogiadas produções individuais de tempos em tempos.

O Festival surgiu com a proposta de entender, de fato, o que era o cinema latino-americano. Era preciso uma arena continental para discutir sua singularidade estética, seus diferenciais e tendências temáticas, descobrir sua riqueza de criatividade, pulverizada em produções aqui e acolá. Em resumo: atualizar e divulgar, em um só contexto, a história recente do cinema que se fazia isoladamente nos países da América Latina.

A consolidação do Festival foi, desde sempre, o alvo mais visível de uma conjuntura de esforços que, a partir desta edição, ganha parceiros de peso, com o patrocínio da Petrobras e do Banco do Brasil – aos quais, em nome do Memorial, damos as boas-vindas.

Que essa parceria seja duradoura, pois é uma demonstração do grau de credibilidade que o evento granjeou em pouco tempo e que nos dá a convicção de que o caminho a seguir, daqui em diante, é o da evolução, da busca pela excelência.

Para alcançar essa meta contamos com o apoio imprescindível do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura, parceiros de primeira hora que avalizaram o projeto. Também homenageamos e agradecemos o apoio da comunidade diplomática dos países representados no Festival.

Nossos cumprimentos mais calorosos aos participantes – cinéfilos, diretores, atores – e à competência da Associação do Audiovisual – responsável pela organização dessa grande festa do cinema da América Latina.


FERNANDO LEÇA
Presidente da Fundação Memorial da América Latina

 

O Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo alcança, nesta sua sexta edição, repercussão e prestígio que avançam além das fronteiras brasileiras. Sua programação expressa tal avanço, com dezenas de títulos de qualidade narrativa e estética, agrupados nas mostras de filmes recentes, na retrospectiva dedicada ao Novo Cinema Argentino, nas homenagens a Orlando Senna e Gabriel García Márquez, na competição de escolas audiovisuais e nos programas especiais.

Esse reconhecimento internacional está presente ainda na promoção, no âmbito do festival, de importantes encontros latino-americanos de projetos itinerantes de exibição, assim como na presença de mais de uma centena de convidados em São Paulo para prestigiar o evento.

Significativa também é a realização do laboratório de roteiros e desenvolvimento de projetos de longas-metragens latino-americanos, o BrLab. Iniciativa pioneira no Brasil, o laboratório é uma realização da Associação do Audiovisual, entidade responsável pela organização do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

Assim, a Associação do Audiovisual ajusta seu foco para a América Latina, buscando na região a promoção e o desenvolvimento da cultura, a defesa e a conservação do patrimônio artístico da linguagem audiovisual, objetivos impressos em sua ata de fundação, em 2005.


Associação do Audiovisual